sábado, 15 de maio de 2010

O Vigésimo Oitavo

Já ouvi falar, de gente que estuda os planetas e suas relações com o destino da vida aqui na Terra, que a cada 7 anos, encerramos um ciclo, e aos 28 acontecem muitas mudanças. Não vou saber entrar em detalhes sobre o que ocorre nessa data. Também não vou fazer uma busca no google agora pra tentar embasar essa teoria. Vou apenas relatar a minha própria experiência.

Faço 28 anos em Agosto, portanto, já estou vivenciando os dias do meu 28o ano de existência por aqui. Desde que esse ano (o vigésimo oitavo) começou, tomei várias decisões diferentes, e até já relatei sobre elas em um post sobre a virada do ano. Foi nessa época que comecei realmente a cuidar da minha saúde, iniciando uma atividade física (corrida e Pilates). Voltei a trabalhar com Ergonomia. Decidi ter filhos.

Você pode até pensar que nada disso é radical ou significa alguma ruptura. Até então eu nunca soube exatamente o que iria fazer na vida. Me formei em fisioterapia. Faço mestrado em ciências básicas. Cuido do financeiro da empresa da minha mãe. E me especializei em fisioterapia do trabalho. Mas amo escrever e tenho um talento legal para cantar. Ou seja, uma miscelânia completa!

Meu rendimento vem basicamente da minha atividade como "analista financeira" e dos trabalhos, em regime autônomo, em ergonomia. Além de tudo o que faço, também cuido da casa (reestruturação financeira exige que eu aumente a minha lista de atividades). Mas não me sinto realizada. Ou não me sentia, não sei ao certo, estou descobrindo. Aí que entra o vigésimo oitavo.

No ano passado, decidi, dentro de mim, o que seria apenas para me sustentar e o que seria para minha realização. Entendi (finalmente) que nem sempre é possível unir os dois. Hoje minha renda não vem da minha realização, mas aprendi a gostar do que faço para sustento. Não quero sofrer e me deprimir para ganhar dinheiro. Acho isso um absurdo. Aprendi também a investir mais nos meus talentos. Criei esse blog, depois mais um, e estou ensaiando com uma banda (ainda beeeem no comecinho). Isso tem me ajudado a ver que tenho um valor!

Mas o vigésimo oitavo não influenciou apenas em como eu penso, ele estrapolou para as oportunidades. Com a história da gravidez, iniciei um outro blog, mais focado. A repercussão dele está me agradando demais! Estou fazendo um trabalho praticamente de jornalismo para alimentá-lo. Como me sinto bem com isso! Alimenta a alma! E, não foi só esse reconhecimento do blog que vejo como oportunidade, também recebi um convite para escrever em uma revista de bairro, nada relacionado ao blog. Esse convite veio aparentemente do nada, de uma pessoa da família que estava buscando alguém que escrevesse bem. Pra mim, foi como um convite para um emprego super bem remunerado!!!

E o tempo mexe tanto com a cabeça, que decidimos, eu e meu marido, engravidar. Sempre tive muita dificuldade de me ver como mãe, com uma criança no colo. Meu pensamento sempre foi bem individualista ao pensar em aumentar a família. Tinha muito medo. Um dia, num caixa de supermercado, o meu marido perguntou quando eu iria dar um filho pra ele. Aquela pergunta gelou a minha espinha e estômago! E não foi medo. Acho que foi a minha surpresa com o meu próprio pensamento, de que realmente era a hora de começar a tentar!

Não sei muito sobre os planetas, nem ao menos sobre as luas. Entendo o que vivo, o que sinto. Bem que isso, não sempre! Mas o fato é que os 27 anos passaram, e junto com eles, muitos pontos de vista sobre a mesma coisa foram modificados. Acredito na evolução, no amadurecimento. Acredito que para todas as coisas existe o tempo certo. E por isso, agradeço a Deus por poder chegar nesse vigésimo oitavo ano com tanta carga de aprendizado, com poucos traumas, com muita saúde, muitas idéias, muitas pessoas queridas ao meu redor, um marido não perfeito mas que me entende como ninguém, e que, segundo a minha mãe, é um santo por ter casado comigo!

Obrigada Deus, obrigada pela vida e pela possibilidade de gerar mais vida!

7 comentários:

Corre Guto disse...

Como assim tem baby, aí?? Nosso totalmente passado!!! Muito muito muito feliz com issooooooooooooooooooooooooooooooo... Jú, desejo a vc e ao Zé tudo de bom na vida... aliás ja é outra vida gerada agora dentro de vc!! bjos

Claudinha disse...

É isso mesmo Ju... encerram-se ciclos, inicia-se um sonho e realizam-se desejos... e assim não somos levados pela vida, e sim vivemos nosso momento !
bjão
Claudinha

Ju Cavani Marcos disse...

Guto, ainda não tem baby não! Quer dizer, pode ser q sim, mas faltam alguns dias pra confirmar isso. Então, por enqto, não!!! Mas só a possibilidade de gerar vida, já é algo a agradecer!!!

Joel dos Santos Leitão disse...

Ju, os ciclos da vida são invenções nossas. Não se prenda a eles. Se você quiser, pode fazer de cada dia um novo ciclo. Ninguém pode te impedir de recomeçar amanhã cedo, ou à partir de julho, que é o meio do ano, ou a cada bimestre, ou trimestre, ou mesmo anualmente. Cada pequena atividade que você incopora te torna o que você é hoje. Você faz escolhas para a sua vida que te tornam uma mulher diferente, mais forte, mais inteligente. Outras pessoas escolhem ficar no sofá com a programação da tv. Não há o certo ou errado. São apenas escolhas. Parabéns por criar um ciclo da tua cabeça. Aliás, falando em escolhas, que banda é essa, hein, meu!! Meu negócio é rock, mas se for para ver você cantar, até abro uma exceção para uma MPB, embora não goste muito. Agora, se for Sertaneja ou Aché... putz! Tá bom, eu vou, mas enquanto você canta eu fico trocando uma idéia com o Zé. beijos!

Ju Cavani Marcos disse...

Joel, é isso mesmo! Só usei essa idéia dos ciclos para poder contar a minha vida usando a matemática! Sei q, passando o 28o, posso ainda mudar, inovar e etc!!! Obrigada pelo coment! Gosto bastante qdo vc passa por aqui! Qto a banda, fique tranquilo, é música de altíssima qualidade! Vc vai gostar. Mas se ñ gostar, o Zé ñ vai pdoer te acompanhar no papo, pq ele é o guitarrista!!!! Bjs!

Rê(nata) disse...

Oi Jujuba!
Te confesso que, do ciclo dos 28 anos, a única coisa que sei que realmente mudou minha vida foi ter conhecido o Ruy. E como dizem: renovação.
Concordo com o Joel que podemos reinventar sempre, independete de existir um ciclo ou não. Todo dia é dia de fazer algo novo por nós mesmos.
Estou torcendo para que todas estas mudanças se tornem realidades lindas e deliciosas, que encham teu dia-a-dia de muito amor, paz e alegria, sempre.

Taly Watanabe disse...

Oiie Ju..poxa eu não sabia que vc é fisio não que legal..
Interessante qto ao pilates, vou ver oq o GO diz sobre isso..de certa forma ele liberou toda atividade que não tenha impacto, tipo aerobico..mas alongamentos, hidro, caminhada tudo liberado..
E qto ao parto cesaria é opção mesmo..
bjss